O inferno

O inferno tem cor de cimento
É quente se não tem vento
Tem gente que quer sair
Tem gente que ainda estar
Ninguém quer ficar
Quem sabe quando vai acabar?
A grana roda
Enquanto o relógio rodar
Ele quer levar sua vida
Você leva a vida por lá
Depois mudam os endereços
O inferno tem vários nomes
Sua vida tem vários preços.
O demônio passa o serviço
Para outro demônio postiço
Que usa o dinheiro como feitiço
E no fim de tudo isso
Mais um zé ninguém perfurado num caniço.
Fica tudo muito bonito
O prédio maldito
Onde morreu ninguém
Onde vivem os homens de bem
E nada disso foi dito.

 

D.V

Aqui o melhor comentarista é você!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s